A Nova Classificação de Países por Perseguição 2012 lançada pela Portas Abertas.

A lista de Classificação de Países por Perseguição 2012 pode parecer familiar. A Coréia do Norte permanece em primeiro lugar como o país que mais persegue os cristãos no mundo, junto com países de maioria islâmica que estão em 38 das 50 posições na Classificação.

Afeganistão (2º), Arábia Saudita (3º), Somália (4º), Irã (5º) e as Maldivas (6º) compõem o bloco onde os cristãos não têm quase nenhuma liberdade de culto. Pela primeira vez, o Paquistão (10º) entrou no top 10, e isso aconteceu pelo fato de que o ministro cristão Shahbaz Bhatti foi assassinato porque tentou alterar a Lei da Blasfêmia no país.

O resto do top 10 é formado por: Uzbequistão (7º), Iêmen (8º) e Iraque (9º). Laos foi o único país que deixou a lista dos dez primeiros, caindo da décima posição para a décima segunda.

Enquanto os índices de violência se agravaram nas nações muçulmanas, a Coréia do Norte, pelo 11º ano seguido, permanece no primeiro lugar e merece essa posição. País comunista, com uma quase-religião que está baseada em seu antigo líder, Kim Il-Sung.

Qualquer pessoa que adore a qualquer “outro deus” é automaticamente perseguida. O número estimado de cristãos no país é de 200.000 a 400.000. Estima-se também que 50.000 a 70.000 cristãos estão presos em campos de prisioneiros no país.

“Com a morte de Kim Jong-Il no mês passado e com seu filho, Kim Jong-Un, assumindo o poder, é muito difícil determinar como será a vida dos cristãos nessa nova fase’, disse o presidente da Portas Abertas nos EUA, Carl Moeller.

“Certamente, a situação permanece perigosa para os cristãos, por isso devemos orar pela Coréia do Norte, para que todos os cristãos posam ter a liberdade de adorar ao Único Deus, e não a Kim Jong-Il e Kim Il-Sung”, completou ele.

Ocorreram outras mudanças significativas na Classificação, incluindo o Sudão que subiu 19 posições e está em 16º agora – o país que mais subiu posições na atual Classificação. A Nigéria pulou 10 posições e está em 13º agora. O Egito, afetado pelas manifestações e revoluções que se iniciaram na Primavera Árabe, subiu quatro posições e está em 15º lugar agora.

Em julho de 2011, o Sul do Sudão, de maioria cristã, se tornou um país independente, fazendo com que os cristãos do Norte do Sudão ficassem ainda mais isolados sob o poder do presidente Omar al-Bashir. O presidente mudou a constituição do país e fez com que o país se tornasse mais islâmico

Na Nigéria, grandes atrocidades aconteceram no país. Mais de 300 cristãos foram mortos no ultimo no país e as informações indicam que os números podem ter subido ainda mais. Desde 2009 o grupo extremista Boko Haram destruiu mais de 50 igrejas e matou 10 pastores.

A China ainda é a maior Igreja no mundo que sofre com a perseguição, pois se estima que existam 80 milhões de cristãos no país, mas ela caiu da 16º posição para a 21º. Isso aconteceu porque os pastores de igrejas domésticas aprenderam a como lidar com a perseguição exercida pelo governo.

A boa notícia é o crescimento da Igreja que está sofrendo com a perseguição. Um pastor do Irã afirma: “Nós não estaríamos crescendo se não tivéssemos pagando o preço pelo nosso testemunho.”

Classificação de países por perseguição

CONFIRA A NOVA CLASSIFICAÇÃO DE PAÍSES POR PERSEGUIÇÃO!

Todos os anos a Portas Abertas publicam uma lista com os 50 países mais opressores ao cristianismo. Em 2012, os cinco países onde é mais difícil viver como cristãos são:

1. Coréia do Norte
2. Afeganistão
3. Arábia Saudita
4. Somália
5. Irã

Faça  o download do mapa abaixo e entregue para seus amigos, coloque no mural de sua igreja. Divulgue a causa daqueles que pagam um alto preço somente porque escolheram seguir a fé cristã.

Recursos para download:


video

As Portas Abertas desenvolveu a Classificação de países por perseguição com base em suas experiências de campo, pois precisava de algum padrão para comparar a situação da Igreja cristã em vários países. Por exemplo: como comparar a perseguição na China com a da Arábia Saudita? Esse padrão precisava ser o mais objetivo possível. E a Classificação tornou possível distinguir situações e delinear prioridades para ações e projetos. Esse é o valor fundamental do levantamento: uma forma de determinar onde a necessidade é mais urgente.

O trabalho é renovado todos os anos pelo departamento de pesquisa da Portas Abertas Internacional e visa fundamentar as ações empreendidas no campo. Embora os métodos empregados na confecção da Classificação procuram ser o mais fidedignos possível, a lista não tem a pretensão de ser vista como um trabalho acadêmico strictu sensu. Desse modo, a Portas Abertas recomenda aos usuários que tomem a Classificação mais como um elemento de mobilização e conscientização do que como um relatório acadêmico.

Como a Classificação é formada

Ao chegar a um país, a Portas Abertas procura os cristãos locais e lhes pergunta como pode ajudá-los. Em 95% dos casos, esses cristãos pedem oração. O segundo pedido sempre é por Bíblias, materiais de estudo e treinamento.

A Portas Abertas seleciona os países que irá ajudar a partir dos seguintes critérios:

• A Igreja local pode extinguir-se caso não haja ajuda externa 
• A obtenção de Bíblias não é possível por meios oficiais 
• Existe possibilidade logística (condições de transporte, armazenagem e distribuição dos materiais) 
• O país está em localização estratégica e recebeu a solicitação de irmãos locais

A Portas Abertas não atua nos 90 países pesquisados. Também não são necessariamente desenvolvidos projetos nos 50 países da lista, mas dentre os 90 países, cerca de 50 possuem projetos de campo sendo desenvolvidos pela Portas Abertas.

Atualmente, a pesquisa é realizada por meio de alguns contatos, mas a Portas Abertas Internacional está em vias de obter o apoio de um órgão externo que endossará a lista. A Classificação hoje é o resultado de um questionário específico, desenvolvido com perguntas padronizadas sobre:

• A situação legal dos cristãos no país 
• A atitude do regime político em relação à comunidade cristã 
• A liberdade da Igreja para organizar eventos 
• O papel da Igreja na sociedade 
• O tratamento de cristãos considerados individualmente 
• Outros fatores limitadores da vida de igrejas e cristãos. 

As respostas a essas questões oferecem um bom vislumbre sobre a falta de liberdade de opção religiosa e prática da fé. Há 49 questões desse tipo para serem respondidas. São perguntas de múltipla escolha e a cada resposta é atribuída uma avaliação em pontos.

Quanto mais pontos um país recebe, pior a situação. Dessa forma, a Portas Abertas resolveu o problema de comparar países entre si e montou uma lista com maior objetividade. Com uma rede internacional de informantes, a organização publica uma atualização da lista todos os anos.

Os dados são coletados por meio de alguns contatos:

• As igrejas locais nos países onde há perseguição, a fonte mais importante de informações 
• As bases de projeto, que informam sobre os países onde trabalham 
• Especialistas em várias áreas de conhecimento nesses países 
• Viajantes, que são convidados a colaborar com suas impressões sobre a situação atual do país
• Funcionários da Portas Abertas Internacional, que levam o questionário em suas viagens e pedem a diversos contatos que o preencham.

O procedimento é executado desde 1993. Desde janeiro de 2003 a Classificação de países por perseguição é atualizada uma vez ao ano. 

Fonte: www.portasabertas.org.br



Paz.
Ju.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário